Fauna News

As redes de tráfico que estão acelerando a extinção de espécies na Amazônia

Novo relatório de 140 páginas lança luz sobre o tráfico ilegal de animais silvestres na Amazônia. O estudo revela que milhões de aves, tartarugas, mamíferos e peixes tropicais estão sendo retirados da natureza e comercializados internamente ou exportados para Estados Unidos, Europa, China, Oriente Médio e outros lugares. Muitos estão em perigo de extinção.

A próxima grande ameaça ao mico-leão-dourado: febre amarela

A febre amarela, transferida das pessoas pelos mosquitos, está colocando em risco a recuperação do mico-leão-dourado. Em maio de 2018, a primeira morte de um exemplar da espécie foi registrada no ambiente natural após um surto da doença em todo o Brasil. Preocupantes 32% da população desapareceram no ano seguinte. Segundo especialistas, a doença pode fazer retroceder em trinta anos os esforços de conservação da espécie.

Ararinha-azul retorna ao Brasil, mas cercada de controvérsias

Vinte anos após ter sido oficialmente declarada extinta na natureza, 52 exemplares da ararinha-azul (Cyanopsitta spixii) chegaram ao sertão da Bahia para serem reintroduzidas em seu habitat. A origem: um obscuro criadouro alemão crivado de denúncias de tráfico de animais silvestres e ligação om máfias europeias.

Antas no Cerrado sofrem com aumento da aprovação de agrotóxicos

Estudo realizado em Mato Grosso do Sul detecta a presença altos níveis de inseticidas e herbicidas em antas do Cerrado, além de quatro metais pesados usados no cultivo agrícola. Segundo a pesquisa, a anta é um 'animal sentinela', pois atua como um sinal de alerta do que está acontecendo com o meio ambiente.