Agropecuária News

Capital estrangeiro empodera frigoríficos do Brasil e ajuda a desmatar a Amazônia

Para conquistar o mercado mundial, os três grandes frigoríficos brasileiros – JBS, Marfrig e Minerva – foram atrás de capital estrangeiro. Hoje são todos transnacionais, com os fundadores originais possuindo apenas ações minoritárias. Investidores estrangeiros, incluindo empresas de gestão de ativos e fundos de pensão, agora possuem grandes participações, o que significa que cidadãos comuns nos EUA e na Europa estão ajudando a financiar o desmatamento da Amazônia por meio de seus investimentos.

Projeto de mina de potássio ameaça povos indígenas na Amazônia

Mineradora de capital canadense finalmente deu início a um processo de consulta aos indígenas que vivem na área – mais de uma década depois de chegar à região e começou a prospectar potássio. A Potássio do Brasil prometeu empregos e prosperidade ao município de Autazes, mas as comunidades indígenas Mura temem que a mina possa poluir os rios, matando os peixes dos quais dependem para sobreviver.

Sistema que combina produção de comida e energia solar pode ajudar famílias no semiárido

Estudos recentes mostram que o sistema agrivoltaico pode servir como estratégia de desenvolvimento sustentável ao otimizar duas atividades produtivas num mesmo espaço: a produção de alimentos e a geração de energia solar. O primeiro sistema agrivoltaico no Brasil, chamado Ecolume, foi desenvolvido por uma rede nacional de mais de 40 pesquisadores e instalado em uma escola de agroecologia de Pernambuco em 2019.

Investigação liga cadeia de fornecimento de frango na Europa a abusos aos direitos indígenas no Brasil

Nova investigação estabeleceu uma ligação entre as redes de supermercados, fast food e marcas de comida para pets da Europa com a fazenda Brasília do Sul, de 9.700 hectares, que se tornou sinônimo de abusos aos direitos indígenas no Mato Grosso do Sul. Brasília do Sul abrigava um grupo de indígenas Guarani-Kaiowá, que foi expulso à força nos anos 1950 para abrir caminho ao desenvolvimento agrícola.

Os caçadores da pororoca perdida

A extinção da grande pororoca do Rio Araguari, no Amapá, levou esportistas e voluntários a mapear no estado outras ondas formadas pelo poderoso encontro das águas doces com o Atlântico. Mais de uma dezena já foram listadas. Um projeto de parque com essas formações quer expandir um turismo organizado e beneficiar populações ribeirinhas e extrativistas.

Criação de búfalos ameaça Terras Indígenas no Amazonas

O desmatamento está aumentando em Autazes, município do estado do Amazonas, segundo dados de satélite e fontes locais. Lideranças indígenas afirmam que a perda de floresta está atingindo as 18 Terras Indígenas espalhadas pelo município, algumas das quais ainda esperam pela conclusão do processo de demarcação.

Cerrado pode entrar em colapso em 30 anos

O desmatamento está tornando o Cerrado mais quente e seco: pesquisadores observaram aumentos de 2,24 °C em média nas temperaturas máximas mensais entre 1961 e 2019; se esta tendência persistir, as temperaturas poderão ser até 6 °C mais altas.